A Moda In Foco

Eco Beauty Day


No próximo dia 20 de maio, a capital maranhense será palco  da  1ª edição do Eco Beauty Day, primeiro evento totalmente ecológico voltado para os profissionais de beleza e tem o objetivo de estimular e incentivar técnicas e práticas voltadas a sustentabilidade. 


Seguindo uma tendência mundial, onde todos os profissionais precisam adequar-se e assim darão sua contribuição para o segmento, a hair stylist paraense Vanessa Vartann, coordenadora e idealizadora do evento, traz um workshop exclusivo sobre uma das técnicas de colorimetria com a utilização de papel reciclável em substituição ao papel alumínio. Ministrado por  Jean Pinheiro, que mostrará que é possível sim alcançar o resultado e a cor desejada aos cabelos substituindo o alumínio pelo papel reciclado.


Jean Pinheiro 

@jeanpinheiroblond

O Brasil se tornou o quarto maior gerador de resíduos sólidos no mundo, e por esta razão, o ramo de beleza, um dos principais geradores de riqueza precisam mudar esse cenário. 
"A quantidade de lixo urbano produzida no país em 2015 atingiu 79,9 milhões de toneladas, 1,7% a mais do que no ano anterior, o que sem dúvida é bastante preocupante e de lá pra cá, os números só vem aumentando", alerta Vartann.



O Eco Beauty Day  apresentará as ultimas tendências em química capilar, make Up, além de um Show Room com produtos e serviços ecológicos.


Víviann Soares @viviannsoaresmakeup

Serviço:
O que? Eco Beauty Day 
Quando? 20 de Maio
Que horas ? 13h as 19h
Onde? Slz Lagoa Hotel, na Lagoa da Jansen.


Feirinha Sustentável: Tá Chegando a Hora!



Alguém aí duvidava que íamos ficar de fora de uma feirinha totalmente a nossa cara???
Somos presença confirmadíssima, na Feirinha Sustentável siiim! 




Uma produção do Afro Culture em parceria com a Casa do Maranhão, nos dias 16 e 17 de Maio, (quinta e sexta) a partir das 15h, na Casa do Maranhão, no Centro Histórico.

A programação da Feirinha Sustentável, contará com palestras, participação de nutricionistas e especialistas em produtos medicinais, além de diversos expositores com produtos especializados como:
cosméticos naturais, acessórios, artesanato, moda consciente, frutas, e jardinagens. 



Passa lá e vem conferir de pertinho nossa arara repleta das camisetas ecológicas mais lindas e conhecer os nossos outros produtos sustentáveis. 

É só chegar chegando no nosso cantinho, bater um papo conosco, trocar ideias e dar aquele abração fraterno.
Te esperamos!!


Coleção A.Niemeyer para Riachuelo


Um escape em meio ao cotidiano, a leveza de um fim de semana prolongado todos os dias, a sensação de bem estar em qualquer lugar. É possível definir assim a coleção A.Niemeyer para Riachuelo


Em tempos cada vez mais rápidos, é preciso ter calma para estar presente – razão pela qual a colaboração criativa levou um ano e seis meses para ser desenvolvida por Fernanda Niemeyer e Renata Alhadeff, estilistas à frente da marca desde sua fundação, em 2006. Embora carregue a sutileza em seu DNA fashion, a marca tem traços autorais marcantes, traduzidos na coleção em 44 modelos com preços a partir de R$ 69,90. Fazem parte dessa identidade modelagens com shapes orgânicos, que privilegiam tecidos naturais como linho e algodão, e detalhes que fazem de seu minimalismo estético o máximo.









“Trouxemos releituras de peças que são ícones da marca, como a saia mídi Saboji, mas também vestidos e casacos de jacquard com uma estampa exclusiva”, revelam as estilistas sobre os itens, que têm inspiração na força geométrica da natureza e chegam às araras físicas e virtuais em uma cartela de cores que vai do verde militar ao azul marinho, iluminada pelo laranja, camelo e off-white.
"Queremos compartilhar com nossas clientes algo diferente. A A. Niemeyer traz essa estética inovadora que buscávamos”, define Marcella Kanner, gerente de marketing da Riachuelo, sobre a escolha da nova parceria fashion.
Na ocasião do lançamento, um desfile revelará a coleção para convidados na Casa Bernardes, residência construída em 1953 com projeto de Sergio Bernardes, um dos maiores nomes da arquitetura brasileira, que completaria 100 anos em 2019. Sob o comando criativo do diretor, escritor e cenógrafo carioca Alberto Renault, o desfile terá transmissão ao vivo pelo Instagram da Riachuelo (@Riachuelo), a partir das 10h30 do dia 16 de maio.
A coleção Chega dia 16 de maio em 56 lojas por todo o Brasil, além do e-commerce - www.riachuelo.com.br, com entrega em todo território nacional.

Havaianas e Instituto IPÊ Celebram 15 Anos de Parceria a Favor do Meio Ambiente


Há exatamente 15 anos, nascia a parceria entre Havaianas e o Instituto IPÊDurante todo esse período, mais de 14 milhões de pares de sandálias com artes inspiradas em espécies da fauna brasileira foram vendidas, revertendo de seus valores mais de R$ 8 milhões para a manutenção do Instituto - 7% do valor das vendas líquidas da linha.
Pensando nisso, para fazer uma celebração à altura, as Havaianas e o Instituto IPÊ fizeram uma collab que dá vida a três diferentes sandálias com estampas da Onça Pintada, o Mico-Leão e a Arara Vermelha, todas assinadas pelo artista Arlin Graff, conhecido mundialmente por seus grafites coloridos e geométricos.
Havaianas IPÊ - R$37,90 (33/34 ao 45/46)

As comemorações não param por aí. Para celebrar o sucesso mundial da parceria, Arlin pintará um mural de 150m² em Lisboa durante uma semana. Todo processo será gravado e posteriormente divulgado pela marca, como parte das ações que estão sendo feitas para reforçar a parceria.
O Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ) foi criado em 1992 e firmou-se como uma das maiores organizações não governamentais do país. Estudando a preservação da fauna e flora da Mata Atlântica, Amazônia e Pantanal, cria práticas ecológicas e contribui na educação por meio da Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade (ESCAS), que nasceu em 2005, com o objetivo de garantir a formação de pesquisadores e líderes especialistas em assuntos ambientais.

Sobre Instituto IpêA fundação oficial foi em 1992, mas o IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas começou sua história muito antes dessa data. Em 1978, aos 30 anos, Claudio Padua deixou para trás a carreira de diretor administrativo no Rio de Janeiro para se dedicar exclusivamente à Biologia. A mudança radical de vida incluiu sua esposa, Suzana Pádua, e seus três filhos. A família mudou-se para o Pontal do Paranapanema (extremo oeste de São Paulo) para que Claudio pudesse realizar as pesquisas com o mico-leão-preto, um dos primatas mais raros e ameaçados de extinção no mundo.
Com o decorrer das pesquisas, foi constatado que, para a conservação efetiva da espécie, seria necessário o apoio dos moradores do entorno da floresta, habitada pelo mico-leão- preto. Começava aí o trabalho de educação ambiental do IPÊ, liderado por Suzana que, ao envolver as comunidades da região, iniciou o processo de conscientização sobre a importância da proteção da natureza. Aos poucos, as pessoas foram compreendendo que a conservação do mico ajudaria não só a conservar da Mata Atlântica, já bastante ameaçada, mas também suas próprias vidas. Outros pesquisadores e estagiários, que naquela época já acreditavam ser impossível separar conservação de educação ambiental e envolvimento comunitário, uniram-se a Claudio e Suzana para criar o IPÊ, que inicialmente teve sua sede em Piracicaba (SP).
Hoje, o IPÊ é considerado uma das maiores ONGs ambientais do Brasil, possui título de OSCIP e tem sede em Nazaré Paulista (SP). O Instituto, que começou com o Projeto Mico-Leão-Preto, agora conta com mais de 80 profissionais trabalhando em mais de 30 projetos por ano, em locais como o Pontal do Paranapanema e Nazaré Paulista (SP), Baixo Rio Negro (AM), Pantanal e Cerrado (MS). Uma das preocupações do IPÊ desde a sua criação é a transferência do conhecimento adquirido em suas pesquisas de campo. Para isso, em 1996, o Instituto criou o CBBC - Centro Brasileiro de Biologia da Conservação, para cursos de curta duração, que evoluiu, em 2006, para a ESCAS - Escola Superior de Conservação Ambiental e Sustentabilidade, oferecendo Mestrado Profissional e MBA.